sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Batam-me com a caixa de cereais!(editado)

Acordei agora mesmo da minha primeira siesta espanhola, neste que foi também o meu primeiro dia de aulas. Na aula da manhã não aconteceu assim nada de extraordinário. A coisa que mais marcou aquela aula foi quando a professora, que estava a pedir que cada um de nós se apresentasse, chegou à minha vez e me perguntou se eu já tinha tido praticado alguma coisa de jornalismo e eu digo “fiz só assim umas entrevistas e reportagens na televisão interna da minha universidade.” E de repente senti-me como um ET a ser observado por todos, incluindo a professora. É que por cá, por incrível que pareça não têm nada do que nós tínhamos nas nossas aulas, quanto mais uma televisão… Depois a professora lá disse que estavam a tentar criar também uma televisão interna “pero es muy difícil!”. Ainda pensei em dizer que a nossa televisão já tem 10 anos, mas depois achei que era melhor não… > Lembrei-me agora que esta mesma professora, ao falar de séries como Dexter, mentes criminosas e assim, ao falar do Dr House disse que ele era um grande Hijo de puta apesar sempre salvar os seus pacientes. Concordo.
Mas o melhor (ou o pior) estava guardado para a aula da tarde. Passados 15 minutos da hora prevista para começar a aula, entra uma senhora já dos seus 50 e tal anos, com uma mala cor de laranja do tamanho daqueles sacos de vender bolas de Berlim na praia, com uma blusa aos quadrados amarelos, verdes e cor de rosa choque e cabelo todo espetado com gel e diz: Vê-se logo que não me conhecem – Estão a olhar para mim a pensar que eu sou maluca! (De certeza que para além de professora é vidente, pois andou lá perto do que eu estava a pensar). Podia contar todas as coisas que ela disse, cada uma mais original, chamemos-lhe assim, que a outra. Mas o momento mais alto desta aula foi mesmo quando ela estava a dizer que os homens e as mulheres, na maioria das vezes sentem as coisas da mesma maneira, salvo raras excepções em que só as mulheres sabiam como se sentiam. E dito isto olhou para mim e para o outro único chico que estava na aula, ao que ele responde: "Pois, mas a professora também nunca sentiu a sensação de acordar com uma erecção logo pela manha!" Após uma gargalhada geral de 5 segundos a professora remata: "Isso pensa você!"

8 comentários:

GiSeLa disse...

Tá mais k visto que, afinal , não somos assim tão atrasados ( no que se refere a métodos de ensino...lol)
Imagino a tua cara a olhar pra mulher david!LOOOOOL
Só nas espanha é k há disto, meu deus...hihihi

Silverboy disse...

Pois, já era de prever que devia encontrar coisas melhores e outras não tão boas, é normal!
Epah eu n fiz assim uma cara de espanto nem nada que se pareça, até tenho uma mente bastante aberta para não julgar as pessoas pela aparência, mas sempre é uma "coisa" que não se vê todos os dias!:p

elsies disse...

Ela lá sabe!! Porque não tivémos dessas cá?? Tivémos que nos contentar com os que lambem telemóveis, os que soltam gases e os que imploram a morte em plena aula!

Enfim, gostei da descrição pormenorizada da peça!

Dreama disse...

E dizias tu ontem que as pessoas aí até pareciam normais... hummm...
Gostava de ter uma prof assim

Vipy disse...

Bem segundo o que demos a retórica e que não me lembro do nome (mas tinha um nome engraçado) consegui mesmo imaginar a cena da prof a entrar na sala de aula vestida dessa maneira "estranha". Humm temos de nos começar a vestir assim LOl
Estou a ver que está tudo bem a correr por esse lado :D

Silverboy disse...

Acho que sei do que estás a falar Vânia! Foi a coisa que eu mais gostei dessa cadeira: a hipotipose né?

Vipy disse...

Heiaaaaa obrigado :D
eu sabia que me percebias LOl

Selene disse...

Oh valha-me a santa xD Porque não tivemos direito a uma dessas? Bah! Mas quando for velhota quero ser como ela... uma cota toda nice! (yeah, nigga :P)