domingo, 5 de outubro de 2008

Cereais retidos pela ASAE

Hoje de manhã, os meus colegas de residência e eu decidimos dar uma volta pela cidade. Até aqui nada de novo e fantasticamente extraordinário. Quando demos por nós estávamos numa rua onde havia um Mercadillo, que é o nosso mercado, ou feira… (que é sempre um sítio espectacular para se ir) Continuam a achar que daqui não vai sair nada que se aproveite? Não andam muito longe…
Mas pronto, o que foi verdadeiramente espantoso foi que uma das primeiras tendas, assim com mais destaque, que vendia perfumes, tinha um cartaz assim muito apelativo, grande, verde fluorescente, com umas palavras pretas e bem visíveis. Eu fiquei assim feito parvo a olhar p’áquilo. Dei uma cotovelada no que estava ao meu lado (que me diz que a roupa era barata) e depois lá ficou também pasmado a olhar para o cartaz. “Hummm… não pode ser o que nós estamos a pensar…”. Então fomos perguntar à colombiana, uma vez que a língua dela é mesmo o espanhol, para saber se o que lá estava escrito tinha outro significado. Mas não! Era mesmo o que nós estávamos a pensar! E ninguém parecia achar estranho, nem mesmo a polícia que estava duas tendas ao lado. Não satisfeitos, perguntamos a alguns espanhóis que conhecemos se aquelas palavras não teriam outro significado aqui na terrinha que nós não conhecêssemos e eles também ficaram assim incrédulos e a rir-se, como nós…
Nós ainda pensamos em tirar uma fotografia àquela obra-prima da publicidade, mas tendo em conta o que lá dizia pensámos duas vezes, não fosse a mulher querer expandir o seu negócio às máquinas digitais. Então como não tenho foto, aqui fica uma versão caseira do belo do cartaz, que juro que tinha esta cor e estas mesmas palavras, embora fosse um pouco maior…


Está bem que uma pessoa que vai a uma feira já sabe que grande parte dos produtos são roubados, mas publicitá-lo???

2 comentários:

GiSeLa disse...

Bem fikei assim tipo DUH, ké isto!!!
Este mundo tá perdido, oh meu deus...LOOOOL
Não é k a gente não saiba de onde vêm certos e determinados artigos da feira! Aquele tipo de artigos mais conhecidos por artigos Jean Pierre Ciganó, mas pronto, não era preciso serem tão directos...LOOOOOL

João Pereira disse...

Em Portugal já se faz coisas do género! Eu já ouvi um cigano a apregoar: "São só 5€! É produto acabado de roubar, minha senhora"